Tecnologia criada para otimizar a adubação nitrogenada 

A Verde desenvolve tecnologias exclusivas para os agricultores alcançarem resultados cada vez melhores nas lavouras. 


Conheça cada uma delas. 

Mais retenção de amônio

A matéria-prima dos fertilizantes da Verde, o Siltito Glauconítico, é rico em glauconita. Esse mineral possui uma alta capacidade de realizar trocas iônicas e, por isso, retém amônio, reduzindo as perdas de nitrogênio.

• Substituições de Si⁴⁺ por Al³⁺ nas camadas tetraédricas.

• Substituições Al³⁺ por Fe³⁺, Fe²⁺ e Mg²⁺ nos sítios octaédricos.

• Diminuição de cargas positivas e aumento de cargas negativas (mineral assume as características de um ânion).

• Balanceamento de cargas pela adsorção de cátions (NH⁴⁺ ).

• Liberação gradual para o solo, evitando perdas por volatilização e lixiviação.

Tecnologia desenvolvida junto a Universidade de Cambridge. Altera a estrutura do Siltito Glauconítico através da ativação mecânica para garantir que o potássio e os demais nutrientes sejam disponibilizados de forma progressiva para as plantas.

Como acontece a liberação?

O potássio fica localizado entre as camadas na estrutura da glauconita. Trocas iônicas permitem a liberação progressiva de potássio para as plantas. 

Hamed, M., Abdelhafez, A. (2020). 'Application of Glauconite Mineral as Alternative Source of Potassium in Sandy Soils', Alexandria Science Exchange Journal, 41(APRIL-JUNE), pp. 181-189. doi: 10.21608/asejaiqjsae.2020.91326. Leia mais.

Estrutura do Siltito Glauconítico antes e depois do processo Cambridge Tech

Fotografia obtida em microscópio eletrônico de varredura
Aumento de 2000 x:

a) Siltito Glauconítico com partículas de glauconita com tamanho médio de 8 microns.

b) Após a ativação mecânica foi observado que as partículas ficaram mais finas (4 microns), dispersas em coágulos, e se tornaram mais esféricas, aumentando a área superficial.

R. Singla, T.C. Alex, R. Kumar, On mechanical activation of glauconite: physicochemical changes, alterations in cation exchange capacity and mechanisms, Powder Technology, v. 360, 2020, 337-351. Leia mais.

Vantagens da liberação progressiva

Rose, Robin. 2002. Slow-release fertilizers 101. In: Dumroese, R. K.; Riley, L. E.; Landis, T. D., technical coordinators. National proceedings: forest and conservation nursery associations-1999, 2000, and 2001. Proceedings RMRS-P-24. Ogden, UT: U.S. Department of Agriculture Forest Service, Rocky Mountain Research Station. p. 304-308. Leia mais.

Os nutrientes ficam disponíveis para as plantas por mais tempo.

As plantas são nutridas durante todo o ciclo da cultura.

Há menos perdas por lixiviação.

A aplicação pode ser realizada uma única vez por safra, reduzindo os custos operacionais.

Tecnologia de micronização do enxofre elementar desenvolvida para garantir a elevada performance do nutriente

Comparação da distribuição dos produtos em 1 hectare considerando uma aplicação de 30 kg de enxofre por hectare. O número de partículas da ilustração é baseado em um cálculo proporcional ao peso e concentração de cada produto.      

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista na cultura da soja revelou que a granulometria da fonte de enxofre é um fator chave para disponibilizar S para as plantas.

IBANEZ, Thiago Bergamini et al . Sulfur modulates yield and storage proteins in soybean grains. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.), Piracicaba , v. 78, n. 1, e20190020, 2021 . Leia mais.    

Foram testadas quatro fontes de S (enxofre elementar pastilhado, gesso, gipsita e enxofre elementar em pó).

A aplicação de enxofre pastilhado resultou em número de vagens por planta, número de grãos por planta e rendimento de grãos por vagem menores que todas as outras fontes.

Quanto menor o tamanho da partícula de S, maior a superfície de contato e possibilidade de reação com a solução do solo. Isso favorece a absorção do enxofre e, consequentemente, o desenvolvimento da planta.      

Por que micronizado é melhor?

Tecnologia que permite a inoculação de microrganismos benéficos às plantas nos fertilizantes. Inseridos no solo, esses seres se multiplicam, aperfeiçoam a comunidade microbiana e proporcionam diversos benefícios.

Tecnologia desenvolvida para transformar a estrutura tridimensional das matérias-primas adicionadas aos fertilizantes da Verde. 

Conheça os fertilizantes da Verde 

Fonte de potássio, enxofre, silício e manganês  

Fonte de potássio, boro, silício e manganês

Fonte de potássio, silício e magnésio 

Fonte de Silício  

Quem somos?

Somos a Verde.

Somos uma empresa de tecnologia agrícola que produz fertilizantes. Nosso propósito é melhorar a saúde de todas as pessoas e a do planeta. Por isso, em parceria com a natureza, fazemos a agricultura mais saudável, produtiva e rentável. 

Alysson Paolinelli

Diretor da Verde

COMPRE AGORA

Uma microbiota ainda mais poderosa 

O Siltito Glauconítico possui uma área superficial extensa e porosa com alta capacidade de armazenamento de água, ar e nutrientes, configurando um ambiente ideal para o desenvolvimento microbiano. 

OLIVEIRA, A. L. M.; URQUIAGA, S.; BALDANI, J. I. “Processos e Mecanismos Envolvidos Na Influência de Microrganismos Sobre o Crescimento Vegetal”. Embrapa Agrobiologia, 161. Seropédica. 2003. Leia mais.

AVIS, Tyler J et al. Multifaceted beneficial effects of rhizosphere microorganisms on plant health and productivity. Soil Biology and Biochemistry 40(7):1733-1740. 2008. Leia mais.

TEDROW JOHN. Greensand and Greensand Soils of New Jersey: A Review. Rutgers NJAES Cooperative Extension, 2003. Leia mais.

Por que os microrganismos são importantes? 

Os microrganismos: 

• Maximizam a absorção de nutrientes pelas plantas

• Atuam na fixação biológica de nitrogênio

• Atuam na transformação e na decomposição da matéria orgânica

• Conferem mais resistência contra pragas e doenças

• Contribuem para o crescimento vegetal


• Aumentam a capacidade do solo de reter carbono

Os microrganismos são a chave na Nova Revolução Verde! 
Leia aqui

Como acontece? 

Os fertilizantes resultantes da mistura são homogêneos e se distribuem uniformemente no solo, sem segregação.

Os materiais são submetidos a transformações físicas, aumentando suas superfícies específicas, formando micropartículas que liberam os nutrientes de forma progressiva.

Partículas muito pequenas se dispersam facilmente pelo solo, possuem grande superfície de contato e facilitam o trabalho dos microrganismos.

FALE COM UM ESPECIALISTA
Vamos conversar?